Conheça nosso seguro de Casa

Seguro de Casa

x

Como um pequeno casamento na Zona Rural de Maine levou ao maior surto de COVID do Estado

O ano de 2020 certamente ficará marcado na memória de todos como um ano atípico, em que tivemos que superar os mais diversos desafios, entre eles o período de quarentena, o uso de máscaras de proteção, além é claro, do cuidado triplicado com a higiene das mãos com água e sabão e o uso excessivo do álcool em gel. Pessoas que tinham grandes eventos ou acontecimentos marcados, tiveram que adiar, cancelar ou mesmo readequar com regras de distanciamento social e redução do número de pessoas. Uma das celebrações que mais sofreram o impacto foram os casamentos, afinal são meses, ou às vezes até mesmo anos de organização para o tão esperado dia do “sim”. Alguns casais optaram por postergar a data para o término da pandemia, mas outros preferiram readequar os detalhes para não terem que remarcar a data, mesmo correndo o risco de transmissão do COVID 19, uma vez que basta um único convidado estar contaminado com o vírus (podendo até mesmo ser assintomático), para transmitir aos demais.

A história que você vai ler a seguir foi publicada em uma reportagem pelo jornal Boston Globe, do dia 29 de agosto de 2020. Na primeira sexta-feira de agosto, a celebração do casamento de um jovem casal ocorreu ao lado de fora da Igreja Batista de Tri Town, no Maine. Parecia perfeito para um dia quente em pleno verão americano, em que as temperaturas do meio-dia chegaram a 70 graus.

Carros lotaram o estacionamento e os convidados – jovens e idosos, moradores e turistas- lotaram os bancos da igreja.

No final da cerimônia, a multidão dirigiu-se ao Big Moose Inn, um alojamento e restaurante localizado entre os lagos Ambajejus e Millinocket. Cada convidado tinha sua temperatura verificada na porta e, depois de liberada, entrava para se deliciar com uma farta refeição, brindar junto ao casal e dançar por horas. Na ocasião, poucos dos 62 participantes do casamento e da recepção usavam máscaras.

Há pouco mais de vinte milhas de distância de celebração, Frank e Theresa passaram a noite em uma cabana de madeira. O casal de idosos passaram grande parte dos últimos quatro meses isolados em casa. Amigos enviaram comida e um cuidador passou por lá para cuidar de Theresa, cuja saúde havia piorado nos últimos anos. Respectivamente aos 97 e 83, o casal se classificou como de alto risco para infecção por coronavírus e não queria correr nenhum risco.

Ainda assim, a pandemia, em muitos aspectos, parecia um fenômeno distante – em grande parte confinado a cidades como Boston, cinco horas ao sul e sem o espaço e a tranquilidade de Millinocket. Apenas cerca de 150 pessoas foram infectadas nos condados vizinhos de Penobscot e Piscataquis nos últimos seis meses. A própria Millinocket não registrou um único caso.

Porém uma celebração mudaria tudo isso. O vírus começou a se espalhar pela comunidade e muito além dela. Um convidado, não identificado, do casamento relatou ter sentido sintomas um dia após a cerimônia. Em quatro dias, vários outros adoeceram, de acordo com autoridades estaduais. Ao todo, quase metade dos participantes, 30 em todos com idades entre 4 e 78 anos, tiveram teste positivo. A essa altura, já não dava mais para calcular o efeito “cascata” de transmissão.

Nas três semanas seguintes, o vírus se infiltrou no sistema escolar de East Millinocket. Ele saltou 220 milhas downstate para uma prisão do condado. Ele abriu caminho até um centro de reabilitação a 160 quilômetros do local do casamento e se infiltrou na cabana isolada do Lago Cedar dos casal de idosos, citados anteriormente.

Uma área que quase não foi afetada pela pandemia global tornou-se repentinamente um ponto quente, o maior surto em Maine até o momento. Quando o casamento ganhou as manchetes internacionais, aqueles que participaram, incluindo os noivos, ficaram em silêncio, muitos de seus perfis de mídia social mudaram para privados.

Theresa e Frank Dentremont fotografados em um barco no Lago Cedar. O casal passou grande parte dos últimos quatro meses na casa isolada que Frank trabalhou para reformar. FRANK DENREMONT JR.

Theresa morreu em 21 de agosto, duas semanas após o casamento, no Hospital Regional de Millinocket, após uma breve batalha com o COVID-19. Ela mal se misturou com o mundo exterior. Mas as autoridades disseram que ela adoeceu depois de entrar em contato com um convidado infectado do casamento. Seu marido, Frank, foi hospitalizado com a doença dois dias depois. O veterano da Segunda Guerra Mundial, que suportou a Batalha de Bulge e trabalhou por 35 anos na fábrica de papel Millinocket, continua recebendo oxigênio e fazendo terapia com medicamentos antivirais, segundo seu filho.

Até sexta-feira (28), as autoridades do Maine vincularam 123 casos positivos ao casamento de 7 de agosto, com um quarto rotulado como casos terciários, o que significa que foram infectados por alguém que foi infectado por alguém que compareceu ao casamento. No sábado (29), os Centros de Maine para Controle e Prevenção de Doenças anunciaram que também estavam investigando um surto na igreja que presidiu o casamento, onde segundo relatos, há pelo menos cinco casos confirmados do coronavírus entre os membros.

“Estamos lidando com um tubo gigante de purpurina. Você abre um tubo de purpurina em seu porão e, duas semanas depois, está no sótão e tudo o que encontra é purpurina e não tem ideia de como ela foi parar lá”, disse o Dr. Nirav Shah, diretor do CDC de Maine, em uma entrevista na terça-feira.

O surto afetou as duas cidades ribeirinhas de Millinocket e East Millinocket, que ficam nas sombras do Monte Katahdin e foram devastadas pelo fechamento das fábricas de papel gêmeas, em 2008 e 2014. Dos 228 casos de coronavírus registrados no condado de Penobscot, um terceiro foi relatado nas últimas duas semanas.

As consequências afetaram quase todos os aspectos da vida: O Hospital Regional Millinocket suspendeu todas as cirurgias eletivas e adiou todas as consultas e procedimentos que podem ser adiados com segurança. Um alojamento Elks local fechou e bancos e cooperativas de crédito fecharam seus lobbies. A Câmara Municipal de Millinocket está fechada ao público. Até as escolas tiveram que mudar seus planos.

O estado marcou o condado de Penobscot como “verde”, o que significa que havia um risco baixo de COVID-19 e os alunos provavelmente voltariam para a escola pessoalmente. A reclusão e a autodependência de Millinocket pareciam isolá-la dos perigos da pandemia. Mas depois do casamento, ficou claro que em cidades pequenas construídas em estreitas conexões pessoais, essas virtudes podem ser perigosas também.

Alguns quilômetros adiante, em Millinocket, as autoridades decidiram adiar a inauguração das escolas por duas semanas. Ainda não está claro quantas pessoas conectadas às escolas foram infectadas no total.

Fonte: https://www.bostonglobe.com/2020/08/29/nation/how-an-intimate-wedding-rural-maine-led-states-largest-covid-outbreak-disaster-that-spread-hundreds-miles/?event=event12

Conheça nosso seguro de Casa

Seguro de Casa

Posts relacionados

>O meu seguro residencial cobre mofo?
O meu seguro residencial cobre mofo?

A umidade traz o mofo e o mofo traz os problemas respiratórios. Você sabe como o seu seguro residencial te ajuda em caso de mofo?

>A BRZ faz 5 anos e queremos agradecer…
A BRZ faz 5 anos e queremos agradecer…

Hoje, dia 05 de agosto de 2022, estamos comemorando 5 anos da inauguração da BRZ Insurance, e neste dia tudo o que queremos é manifestar a nossa GRATIDÃO.

>Como cuidar da sua bomba de depósito para que ela cuide da sua casa?
Como cuidar da sua bomba de depósito para que ela cuide da sua casa?

Saiba como a bomba de depósito pode salvar a sua casa e principalmente, como fazer a manutenção para que ela nunca te deixe na mão.

\

Vem pra nossa comunidade

Somos uma seguradora feita de pessoas para pessoas. Uma comunidade que fala a mesma língua, de gente de olho no futuro. Um lugar feito pra você se sentir em casa, com toda a proteção e cuidado que um lar oferece. Pode chegar.

Simulação Rápida