Conheça nosso seguro de Casa

Seguro de Casa

x

Imigrantes são mais vulneráveis a inundações nos EUA

No início de Setembro deste ano, trazida pelo furacão Ida, a maior chuva dos últimos 152 anos, provocou enchentes impressionantes em Nova York. Estradas bloqueadas, estações de metrô invadidas pela água, milhões de dólares em prejuízos e inestimáveis vidas perdidas, foram alguns dos trágicos impactos causados. 

O furacão Ida, uma poderosa tempestade de categoria 4, atingiu a costa da Louisiana com ventos de 240 km / h. Ao se mover para o norte, deixou um rastro de destruição com dezenas de mortos e dezenas de milhares de casas seriamente danificadas. Quando atingiu o Nordeste em 1º de setembro, se tornaria a tempestade mais mortal que a região enfrentou desde o furacão Sandy em 2012.

O dilúvio começou no fim da tarde e continuou até depois da meia-noite. Novos recordes de chuva haviam sido estabelecidos dias antes por uma tempestade tropical, apenas para serem quebrados novamente quando Ida chegasse.

A maioria das vítimas em Nova York, eram imigrantes asiáticos e hispânicos que viviam em porões ilegais. A tragédia escancara a vulnerabilidade das comunidades de baixa renda e aprofunda a desigualdade social. 

Sem uma abordagem mais equitativa de intervenção, o problema só vai piorar.

Enchentes pelo mundo e previsões

Estudiosos fazem a previsão de que as inundações serão a calamidade ambiental que mais afetará a maior parte da população global em meio à crise climática.

Hoje, cerca de 1,5 bilhão de pessoas – cerca de uma em cada cinco pessoas em todo o mundo – enfrentam risco de inundação pelo menos moderado, de acordo com o Banco Mundial. 

Quase 90% das pessoas expostas a inundações no mundo vivem em países de baixa e média renda do hemisfério sul, mas os países ricos não estão imunes, e quase 160 milhões que vivem no mundo desenvolvido também são vulneráveis ​​às inundações. 

Em Julho de 2021 também vimos países da Europa debaixo d’água, e muitos cidadãos foram pegos de surpresa. Os prejuízos foram gigantes, pessoas morreram e não só casas, como ruas inteiras desapareceram sob as inundações. As autoridades locais já se manifestaram sobre a necessidade de acelerar as medidas de proteção do clima. 

Nas próximas décadas, a Europa, a América do Norte e outras partes do hemisfério norte verão novas áreas expostas, sujeitas a inundações – e nesses lugares, também, os mais pobres terão os piores resultados.

Nos EUA, cerca de 41 milhões de pessoas estão expostas ao risco de enchentes, concentradas em áreas metropolitanas onde a densidade populacional é alta e é comum construir em terrenos propensos a inundações.

Vulnerabilidade dos imigrantes em NY

Assim como em várias cidades europeias, e até mesmo, brasileiras, nas principais cidades dos Estados Unidos, uma crise imobiliária forçou as pessoas de baixa renda a morar em habitações sem as condições mínimas de segurança, sem planos de evacuação e abaixo da altura mínima de segurança contra inundações. 

Por questões como documentação e possibilidade de pagamentos limitada, muitos dependem de redes informais dentro de suas comunidades para encontrar moradia,e o que aparece, muitas vezes, são conversões ilegais construídas sem as devidas licenças.

Existem cerca de 50.000 porões ilegais na cidade de Nova York, de acordo com a estimativa da cidade. Apesar dos perigos, os inquilinos e proprietários evitam relatar quaisquer problemas devido ao medo de despejo ou multas.

Cinco das seis propriedades onde os nova-iorquinos perderam a vida durante as enchentes são casas sem licença no nível de porões. Três vítimas eram da mesma família e dividiam um porão com mais duas famílias, com apenas uma porta e nem mesmo janela, o que tornou impossível que escapassem de casa antes da enchente bloquear a única saída disponível. As outras duas famílias não estavam em casa durante as chuvas.

A falta de moradias de qualidade é uma razão óbvia pela qual as pessoas mais pobres correm mais riscos durante um evento climático extremo. Um fator importante a se observar é que comunidades de baixa renda costumam estar em lugares com menos árvores e menos verde em geral. 

Durante as ondas de calor, as superfícies de concreto tornam-se armadilhas para altas temperaturas e, em inundações, evitam o escoamento da água. A maioria das mortes pela enchente em NY foram residentes em áreas próximas a grandes superfícies impermeáveis, como rodovias e estacionamentos. 

Ao todo, o furacão Ida atingiu quase 4000 kms do território continental dos EUA ao longo de três dias, gerando tornados em pelo menos sete estados, chuvas recordes em todo o país e provocando a primeira emergência de inundação repentina na cidade de Nova York.

Os desafios das comunidades mais pobres

As inundações podem ameaçar vários países e não escolhem os bairros mais pobres ou mais ricos, todos estão em risco. Entretanto, as comunidades de baixa renda e marginalizadas podem levar até o dobro do tempo para se recuperarem de um desastre,já que é menos provável que tenham os recursos para reconstruir ou mudar de região, o que mantém as pessoas vulneráveis. 

Um relatório da ONU de 2019 observou que, quando o furacão Sandy deixou grandes áreas da cidade de Nova York no escuro em 2012, a sede do banco de investimento Goldman Sachs em Lower Manhattan estava protegida por uma enorme parede de sacos de areia. E lembram que bombeiros privados foram contratados para salvar mansões de incêndios florestais na Califórnia? 

O relatório estima que as mudanças climáticas podem empurrar mais de 120 milhões de pessoas para a pobreza até 2030, anulando 50 anos de progresso na redução da pobreza.

Os efeitos não ameaçarão apenas os direitos humanos básicos, como a vida, a alimentação, a moradia e a água, mas também o Estado de direito e a democracia.

Imigrantes, sejam documentados ou não, são muitas vezes ainda mais vulneráveis do que nossas minorias raciais e étnicas que são cidadãos americanos, porque têm mais medo de pedir ajuda.

Todo cuidado é pouco

Apesar de saber o valor que cada um dá para a sua casa e para todos os bens conquistados em anos de trabalho e suor do seu rosto, sejamos realistas? O que importa mesmo é a sua vida e a segurança da sua família, portanto, todo cuidado é pouco. 

O ideal é estar atento e saber escolher da melhor forma possível o local onde vai morar. É claro que entendemos que querer não é poder e que, principalmente sendo imigrante, muitas vezes precisamos fazer sacrifícios. Tente descobrir em qual Flood Zone o seu imóvel ou o imóvel que pretende alugar se encontra. 

Nem todos as zonas de inundação estão mapeadas – adivinha se são em regiões mais baratas? Ainda assim, dentre as mapeadas, muitas já estão desatualizadas, portanto, montamos um guia de perguntas que você pode fazer ao buscar uma nova casa para morar. 

Ao alugar uma casa, veja o que pode ser feito para diminuir prejuízos caso você seja atingido por uma inundação como: 

  • Colocar móveis e eletrônicos no espaço mais elevado
  • Trocar carpetes por pisos de cerâmica ou algo que não seja danificado pela água
  • Instale válvulas de refluxo no encanamento de esgoto
  • Direcione as calhas de modo que joguem a água da chuva para longe das paredes

Além disso, ao saber de chuvas à caminho, fique atento, procure um app ou um site de alertas sobre flood e acompanhe sempre que possível. Busque as recomendações das autoridades locais e procure um lugar seguro para esperar o pior passar. 

Faça um Flood Insurance

Ao prever qualquer possibilidade de ter sua casa atingida por uma inundação no futuro, é importante garantir sua segurança financeira e a segurança da sua casa. Uma casa invadida pela enchente causa prejuízos muito altos para o morador, e é o motivo de que pessoas de renda mais baixa não conseguirem se recuperar. 

Um seguro contra inundações pode ser um investimento fundamental nessas horas. Depois do trauma de ver sua casa destruída pela água, saber que terá recursos para recomeçar a vida pode ser a diferença entre continuar ou não o seu sonho de viver e prosperar nos EUA. 

O Governo Federal, consciente do tamanho dos possíveis prejuízos causados por inundações criou o NFIP, responsável por fornecer seguros acessíveis a toda população, mas você também pode escolher uma operadora privada para seguros mais personalizados. A BRZ pode te ajudar a escolher entre as duas opções e encontrar as melhores taxas e condições para você. 

Inclusive, já escrevemos aqui no blog um guia para Flood Insurance em New Jersey, e em Massachusetts

Acima de tudo queremos a nossa comunidade segura e próspera. 

Be safe. 

** Essa matéria foi inspirada pelo texto The flood that drowned American dreams da BBC.

Conheça nosso seguro de Casa

Seguro de Casa

Posts relacionados

>O que é World AIDS Day?
O que é World AIDS Day?

Você sabe o que é o World AIDS Day? Te explicamos como a data surgiu e como já afetou o conhecimento e a forma do mundo lidar com o vírus.

>Por que operações digitais podem afetar a sua apólice de D&O?
Por que operações digitais podem afetar a sua apólice de D&O?

Como a falta de cyber security pode afetar a diretoria da sua empresa e sua apólice de D&O? Como evitar prejuízos permanentes? Saiba mais.

>Qual a história por trás do feriado de Thanksgiving?
Qual a história por trás do feriado de Thanksgiving?

Pra quem só conhece o Thanksgiving pela TV e quer saber mais sobre a origem do tradicional feriado nos EUA, trazemos um pouco de história e falamos sobre o que poderia fazer parte daquela primeira refeição compartilhada.

\

Vem pra nossa comunidade

Somos uma seguradora feita de pessoas para pessoas. Uma comunidade que fala a mesma língua, de gente de olho no futuro. Um lugar feito pra você se sentir em casa, com toda a proteção e cuidado que um lar oferece. Pode chegar.

Simulação Rápida